Repouso na preparação física do cavalo atleta

A importância do repouso

Por Mozart Barros*

 

“Sem a arrogância de quem julga saber tudo, com a humildade de quem sabe que pouco sabe”

  • Qual a parte mais expressiva de um treinamento com um cavalo atleta?
  • Quanto tempo de repouso é suficiente após o exercício?
  • Com o exercício, quais alterações ocorrem no corpo do cavalo?
  • Quando treinamos um cavalo, ele está ganhando ou perdendo?

Importante primeiro conhecer as parte e etapas da preparação física. São inúmeras. Vamos focar em cinco: o exercício, o repouso, o manejo nutricional e controle sanitário.

Antes, informações preliminares sobre o animal são importantes: raça, idade, peso, avaliação física e o estado geral do equino.

De pronto, afirmaria não existir parte mais importante que outra no treinamento físico.

Treinamento Físico

Um adequado planejamento de treinamento físico para cavalos atletas, envolve a utilização de exercícios aeróbicos e anaeróbicos. O exercício é o condicionamento propriamente dito de preparação para a cada etapa, ir alcançando níveis superiores de adaptação aos esforços mais duradouros e intensos. É aonde adentra o repouso restaurador entre as sessões de exercícios.

Repouso entre exercícios

repouso na preparação física do cavalo atleta

No treinamento o cavalo perde, gasta reservas energéticas, sofre alterações estressantes, neurológicas, metabólicas e psíquicas. O repouso, conhecer e aplica-lo é ciência cientifica tão importante quanto a aplicação dos exercícios.  É arte. As sessões de treinos e o tempo de repouso adequado é o que propicia as adaptações aos esforços cada vez mais intensos e extensos, aos objetivos propostos e desejados nas valências físicas de resistência muscular localizada, força, potência e velocidade. Tudo em busca de endurance, (resistência a fadiga), encalça de ampliar a capacidade cardiovascular, pulmonar e muscular do indivíduo. No descanso o cavalo ganha…

            Conciliar exercício, repouso e alimentação são inexatos de empiricamente ajustar. Entretanto, estudos fisiológicos do exercício, sugerem o tempo de repouso após cada tipo de exercício. Os exercícios são classificados em sub-limiar, limiar e supra limiar.

Para exercícios aeróbicos, passo e passo alongado, dependendo do tempo de exercício, 24 horas propicia uma recuperação favorável. São exercícios sub máximo ou sub-limiar;

Já os exercícios de força e potência, descanso acima de 48 horas. No limiar são os exercícios de marcha e galope canter;

Exigência máxima ou supra limiar são os exercícios de velocidade, marchas alongadas e galopes plenos, (treino forte), repouso acima de 72 horas para voltar a repetir com a mesma intensidade.

Exercícios muito usados em treinamento para competição de enduro. “Sabe-se em fisiologia que quanto mais rápidas forem as contrações de um músculo tanto mais depressa aparecerá a fadiga”. É assim que a velocidade mata mais que qualquer outro elemento. Nuno Coelho.

Tudo é uma adaptação…  O exercício que impõe fadiga momentânea deve ser seguido por outro mais simples e menos intenso. O que serve para um cavalo, pode levar danos à saúde de outro. Tempo de exercícios e repouso se alteram e alternam no decorrer do treino. Todo o sistema cardiovascular, pulmonar e muscular requer tempo para adaptar-se as maiores exigências físicas. Já os tendões, articulações e ligamentos, requerem muito mais tempo, meses e até anos.

Manejo Nutricional

    O cavalo não atleta, de passeio, ou curtas cavalgadas, não carece de maiores cuidados. Boa ração de manutenção e capim ou feno de boa qualidade e sal mineral supre muito bem suas necessidades. Já o atleta exige concentrado com mais energia e volumoso, capim ou feno abundante. Em determinada fase suplementos são importantes para reposição de energia, vitaminas, proteínas e sais minerais.   Suplementos sugeridos pelo médico veterinário Dr. Cicero Estrella Farias, para uma égua que participará de cavalgada de 230 km em 8 dias: hemolitan, tônus pó, eletrolítico pó para hidratação. Nos dias de maiores esforços, trocar o pó por eletrolítico pasta. Água sempre à disposição do animal.

Controle Sanitário

É um assunto vasto e importantíssimo para o bem estar do animal. Começa no ambiente que ele vive. Baia limpa e arejada, cama com bom acolchoamento e boa absorvência. Escovação periódica, vacinação programada e controle de verminoses.  Cavalo atleta pelo menos a realização de hemograma completo antes de iniciar o treinamento e durante o mesmo é recomendado. “Se vê a qualidade do sangue, músculos, fígado e rins”. Palavras do Dr. Cicero.

Nota:

            Preparar fisicamente um cavalo, carece de conhecimento e prática. A convivência do cavaleiro e seu animal leva a um conhecimento e aprendizado sobre o equino, causando uma sensibilidade e interação entre ambos, induzindo a descoberta das necessidades, capacidade e limitações do animal a serem respeitadas pelo treinador.   A supervisão de um veterinário é crucial para o sucesso do condicionamento físico do indivíduo.


Veja do mesmo autor!

Treinando Cavalos para Cavalgadas

 

 

 

Anterior Tratamento Dentário em Cavalos
Próximo Caminho dos Diamantes - A Rotina

Sobre o Autor

Mozart Brandão Barros
Mozart Brandão Barros 14 posts

Amante de Cavalos e Cavalgadas - Professor de Educação Física aposentado. Colaborador da coluna - CAUSOS & CAVALGADAS

*O conteúdo dessa matéria é de inteira responsabilidade do seu autor, não tendo a Viajar a Cavalo qualquer responsabilidade sobre o teor dessas informações.

Você também pode gostar de

Viagem a Cavalo Leia e comente!

Tipos de Viagem a Cavalo

Quando entramos no universo de operadores de viagens, uma linguagem muitas vezes estranha, mas comum entre eles, passa a fazer parte da vida daqueles que fazem uso de seus serviços.
Portanto, acho útil a familiarização com alguns termos e também a forma como eles denominam e agrupam cada tipo de viagem.

Guias e tutoriais Leia e comente!

Algumas Regras na Cavalgada

Antes de serem convenções sobre boas maneiras de convivência, as normas de etiqueta são extremamente úteis na prevenção de acidentes desnecessários. É um exercício de consciência, cautela e boas maneiras, alerta Rhonda Hart Poe.

Guias e tutoriais Leia e comente!

O Bom de Contar e Ouvir Estórias

A arte de contar história é milenar. E graças a ela temos informações que não poderiam ser transmitidas numa época que não existia papel e/ou ele era muito caro e a escrita exclusividade de alguns.
Geralmente, o dom de contá-las é natural, inato. Mas, requer prática, generosidade e disponibilidade. E antes de tudo, a pessoa que o tem deve achar que cada acontecimento é uma estória, importante para a vida, valiosa e, que portanto merece ser narrada.

1 Comentário

  1. espinosa
    dezembro 07, 13:21 Reply
    Lindos caballos son de Hacienda La Alegria de Ecuador, cabalgamos por 12 dias y los caballos son bien atendidos en su alimentación y limpieza. Tratamos de que descansen un dia que van sin jinete y otro dia con jinete, cabalgamos a 4000 metros de altura y cubrimos 40 kilómetros por dia. saludos Gabriel Espinosa www.haciendalaalegria.com

Deixe um comentário