Qual o Comprimento Certo do Estribo?

Qual o Comprimento Certo do Estribo?

Foto: Jacira Omena

 

Por Jacira Omena*

 

Qual a importância do estribo para um bom desempenho em sua cavalgada ou viagem a cavalo?

Muitas vezes em um primeiro momento e em algumas situações, parece que podemos deixar esse “detalhe” de lado e confiar no olho de quem selou o cavalo, principalmente quando não usamos o nosso.

Mas, mesmo quando utilizamos nossa própria sela e cavalo, tem dias que parece que alguém andou mexendo em alguma coisa por ali.

Só demos a devida importância a esse “detalhe” quando nos “falta perna” em um movimento mais brusco, ou quando ao final de um tempo cavalgando, sentimos um desconforto nas articulações do joelho, tornozelo e coluna, e alguma contração muscular.

É a cavalgada que nos deixa uma má lembrança pelos próximos dias!

Quais as consequências de um estribo com o comprimento muito longo ou curto?

Vejam nesse artigo traduzido de autoria de Cindy Hale,  publicado originalmente no portal Horse Channel em setembro de 2011.


“Um estribo que é muito longo geralmente resulta em uma perda de apoio e instabilidade na perna. Além disso, ele prejudica a postura do montador. Em vez da postura clássica, com a parte superior do corpo em um ângulo ligeiramente para a frente, um estribo muito comprido pode forçar o cavaleiro ou amazona a adotar a posição chamada de “assento da cadeira.”

No “assento da cadeira” o montador fica muito para trás na sela, com a ponta de sua bota perto do braço do cavalo. Parece, realmente que a pessoa está sentada em uma cadeira, em vez de estar montando um cavalo atlético. O montador em “assento de cadeira” permanece todo o tempo por trás do movimento do seu cavalo e, é incapaz de participar e acompanhar o seu cavalo enquanto ele galopa ou pula através de um obstáculo.

Ao contrário, quando o estribo é muito curto, fato mais raro, a perna do montador fica muito encolhida e elevada acima da parte superior do seu corpo.

Além de tornar a sua perna menos eficaz em relação a função de equilíbrio e movimento, ainda prejudica na postura adequada do seu corpo. Similar a um jockey, eles cavalgam acima da ação de seu cavalo e precariamente fora da sela.

Como encontrar essa medida?

Vale uma dica!

Para encontrar o comprimento correto do estribo, sente-se na sela com os pés para fora deles. Relaxe a perna e permita que os estribos tenham contato com seus pés. A parte inferior (barra) do estribo deve tocar o osso do seu tornozelo.
Se você gostaria de ter o comprimento correto do estribo antes de montar, fique do lado do seu cavalo, coloque os seus dedos na barra de sustentação do loro, abaixo da aba de sua sela. Agora, com a outra mão, puxe o loro e corra com ele ao lado do seu braço estendido. O comprimento correto é quando a barra inferior do estribo toca o ângulo da sua axila.

Tenha em mente que você poderá ocasionalmente ter que ajustar os seus estribos em um buraco ou dois. Por exemplo, couro novo estica ao longo do tempo, então o tamanho inicial passa a ser muito longo.

Também, se você mudar de um cavalo mais largo para outro mais estreito, você terá que fazer novo ajuste.

Um cavalo mais gordo toma mais parte de sua perna que um magro.

Finalmente, alguns montadores deixam seus estribos mais soltos e longos para trabalhos e deslocamentos leves e os encurtam quando vão trabalhar mais ativamente e saltar.

Em última análise, o tamanho correto é aquele que permite você adotar uma postura adequada e o coloca em uma posição de ter uma cavalgada segura e efetiva.

Por Cindy Hale,  publicado originalmente no portal Horse Channel em setembro de 2011.


E qual é essa posição adequada?

O correto posicionamento do corpo ao montar o cavalo confere possibilidade de manejo hábil, seguro e confortável.

Duas linhas retas imaginárias percorrem pontos de referências que enquadram o corpo numa posição considerada ideal em relação ao equipamento de equitação e o cavalo.

SIM

 Imagens da interne

Imagens da internet

NÃO

 Imagens da interne

Imagens da internet

Todos os elementos estão harmonicamente situados, o que propicia o acontecimento de movimentos livres, orgânicos e sincronizados.

A LINHA A – é uma linha reta que começa na orelha, passa através do ombro e quadril e vai até o calcanhar.

A LINHA B – é uma linha reta que vai da brida, na boca do cavalo, segue pela rédea e punho e chega ao cotovelo.

Considera-se que o corpo está numa posição correta quando as duas linhas são possíveis simultaneamente.

Para isso, observe os seguintes aspectos ao se posicionar sentado em cima de uma sela:

– Sente-se ereto e centralizado na sela;

– Olhe para a direção que você está se movendo;

– Pressione os calcanhares para baixo;

– A parte anterior do pé deve está apoiada no estribo;

– Os dedos dos pés apontados para cima e num nível superior ao do calcanhar.

– As pernas ligeiramente fletidas e em contato direto com o cavalo;

– As mãos pouco acima da parte superior anterior da sela;

– O punho em linha com o polegar;

– Os braços relaxados na lateral do corpo com cotovelos ligeiramente dobrados.

Claro que tratamos das técnicas clássicas de equitação e que para alguns tipos de selas, cavalos e atividades, a postura ao cavalgar deve ser adaptada a essas condições específicas.


Fonte: LIVRO – VIAJAR A CAVALO: UM GUIA PASSO A PASSO. Autora: Jacira Omena

Anterior Brasil - Destino de Viagem a Cavalo
Próximo Cavalgada - Qual o Melhor Animal?

Sobre o Autor

Jacira Omena
Jacira Omena 220 posts

Viajante e Escritora - Escreveu o Livro - Viajar a Cavalo:Um Guia Passo a Passo. "Viajo pelo mundo a cavalo sempre a procura de algo novo e surpreendente, e com grande frequência sou bem-sucedida nessa busca!

*O conteúdo dessa matéria é de inteira responsabilidade do seu autor, não tendo a Viajar a Cavalo qualquer responsabilidade sobre o teor dessas informações.

Você também pode gostar de

Textos Editoriais Leia e comente!

Estou Bem para Viajar a Cavalo?

O quanto bem eu devo estar para viajar a cavalo?
Qual o grau de dificuldade?
O quanto é difícil viajar a cavalo?
Preciso está em grande forma física?

Gastronomia Leia e comente!

Índia – Na Rota das Especiarias

As especiarias em um tempo não muito distante foi uma moeda preciosa na troca de mercadorias.
A Índia entrou nessa rota e foi ambicionada por todo o mundo. Viajando a cavalo pelo Rajastão, conhecerás os aromas e sabores da Índia.

Guias e tutoriais Leia e comente!

Algumas Regras na Cavalgada

Antes de serem convenções sobre boas maneiras de convivência, as normas de etiqueta são extremamente úteis na prevenção de acidentes desnecessários. É um exercício de consciência, cautela e boas maneiras, alerta Rhonda Hart Poe.

Leia e comente!

Nenhum Comentário ainda

Você pode ser o primeiro a comentar esse post!